Quinta-feira, 4 de Dezembro de 2008

Novo blog

Link para o meu novo cantinho.... Espero lá por voces.
Obrigado por lerem os devaneios que escrevo.


publicado por sensei às 11:07

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 28 de Maio de 2008

Fortuna?

 

De que me adianta ter olhos, se não consigo ver
De que adianta ter ouvidos, se não posso ouvir
De que adianta te conhecer, se não te posso ter
De que adianta te convidar, se tu não podes vir
 
Não me adianta ter dinheiro para gastar
Se não tenho ninguém para me acompanhar,
Ou ter uma casa enorme para morar
Se não há ninguém para a ocupar,
Ter um barco enorme para navegar
E não ter onde nadar,
Ter carros e motos para guiar
E não ter ninguém para o caminho me indicar.
 
De que serve a minha fama, se ninguém me ama,
Ou morar num castelo, se não gosto da cama.
De que serve o meu nome, se ninguém me chama,
Ou tudo o que eu faço, de que serve este drama?
 
De que serve a fortuna terrena e material
Se quem me espera em casa é um animal.
Ou de que me servem todas as mulheres
Se elas me dizem “paga se quiseres”.
Que fortuna tenho eu afinal
Que me deixa assim tão mal
Que me falta para eu ser banal
Que me falta para eu ser normal.
 
Tenho tudo o que todos querem ter
Mas não consigo ter o que eu quiser.
Pois não compro o que há de melhor
Que são as fortunas da companhia, respeito e amor.
publicado por sensei às 15:25

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quinta-feira, 15 de Maio de 2008

Despeço-me de ti, AMOR

 

Dói-me a alma
De ver tudo terminar assim
Não consigo ter calma
Quando vejo que tu ditas-te o fim
 
O vazio no teu interior
O vazio a que me votas-te
Em mim causas-te muita dor
Essa dor que também tu já me sacias-te
 
De saber que já te tive
De saber que já te possui
De saber que em mim não te mantive
Mas acredita que não fui eu que fugi
 
O prazer que me deste
Quando na minha língua te senti
Quando forte te agarrei
É um momento que não esquecerei
 
O toque dos meus lábios em ti
O sentir do teu corpo
Os locais onde te possui
Esses locais de onde eu sai “torto”.
 
Porque teimas-te em terminar
Porque não nos amamos eternamente
Porque tinhas que acabar
Porque tinhas que acabar tão de repente
 
Custou-me, para aí um euro
Ter-te por breve instante
Tu que me transformas
Tu cerveja, meu amor distante
 
Agora foges de mim
Teimas em abandonar o meu corpo
Depois de me percorreres assim
Desde a boca, até quase ao escroto
 
Sais para não mais voltar
Desapareces nesse urinol
Misturada com a naftalina
Ou com pastilhas de mentol
 
Mas vai toda de uma vez
Leva até a ultima gota
Não me marques também as cuecas
Não te derrames na minha bota
 
Vai, amor infame
Vou-me entregar a outra bebida
Pois tu já não me excitas
Pois eu vou mudar de vida….

 

 

 

 

publicado por sensei às 11:16

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quinta-feira, 10 de Abril de 2008

Magoaste-me....

As palavras que proferiste

Foram duras e aguçadas

Foi com elas que me feriste

Logo após serem arremessadas

 

As palavras não voltam mais

Depois de as dizeres

Ficam marcadas nos anais

Descrevem ódios e prazeres

 

As que ontem proferiste

Denotavam mágoa e amargura

Tu estavas de espada em riste

Tu eras uma guerreira dura

 

Não tinhas razão

Para me magoares daquela maneira

De ferires o meu coração

De o deixares com farpas de madeira

 

Eu sei que tu erraste

E tu hoje sabes também

Aquilo foi um desastre

Foi algo que não te ficou bem

 

O teu orgulho não permite

Que me voltes a falar

Nem movido com dinamite

Esse orgulho eu iria derrubar

 

Tenho pena que assim seja

Que te deixes influenciar

Por alguém que te inveja

E que finge te querer ajudar

 

Sabes onde estou

A lamber as feridas

De lá sair não vou

Não desperdices mais oportunidades das nossas vidas….

 

publicado por sensei às 14:01

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Terça-feira, 11 de Março de 2008

SOL

Perdida, sozinha

Neste mundo sem regra

Onde o SOL já não brilha

Onde até o SOL me nega

 

Sei que ele brilha

No dia de alguém

E que feliz me sentia

Se brilhasse no meu também

 

Porque teimas em te esconder

E o brilho do meu olhar levar

Porque me negas o teu ser

Porque te deixas tapar

 

Porque me abandonas

E destróis a alegria na minha alma

Porque é que quando voltas

Unicamente me pedes para ter calma

 

Porque me deixas deprimida

Quando me mostras a solidão

Porque me deixas dorida

E não mostras compaixão

 

Porque teimas em não brilhar

E te deixas esconder

Pelas nuvens, que a pairar,

Me impedem de te ver

 

Ninguém se iguala a ti

Ninguém me dá tanto calor

Já faz muito tempo que te vi

Porque te escondes, SOL, meu amor…

publicado por sensei às 16:09

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quinta-feira, 6 de Março de 2008

DESCARTÁVEL

Hoje senti-me mal

Hoje senti-me sujo

O que sou eu afinal

De que realidade eu fujo

 

Ninguém me conhece

Nem sabem quem sou

Toda a gente me esquece

E ninguém sabe onde estou

 

Desculpem, é mentira

Todos sabem onde me encontrar

Era uma tirania

Se o inverso eu fosse pensar

 

Toda a gente me procura

Nas alturas de solidão

Quando a dor é nua e crua

Quando precisam de uma opinião

 

No meu ombro já derramaram

Lágrimas de amor

Ás minhas vestes já limparam

Corações feridos de dor

 

Fui confidente de lamúrias

De desentendimentos e abandonos

De pecados e injurias

Eu fui a força de muitos cornos

 

Mas gostava de ser procurado

Um único dia qualquer

Para me ser perguntado

Se eu estava bem, ou qual o meu querer

 

Mas hoje sinto-me pior

Porque me ofereci

Para ser o condutor

E um não eu recebi

 

Ofereci-me para transportar

Alguém a algum lugar

Mas teve o dom de me descartar

E a ajuda de outro aceitar

 

Eu que pensei que era querido

Por quem me descartou

E agora estou ferido

E o sangue de brotar ainda não parou

 

Sou só reconhecido

Quando precisam de ajuda

Sou só um ser vivo

Quando me pedem ajuda

 

Porque eu vivo na sombra

Vivo na escuridão

Sou um ser, uma cobra

Que vive na solidão

 

Procurado unicamente

Para a pele me tirar

E o final, sempre deprimente

Nunca contem a palavra amar

 

Opiniões, consolo

Até mesmo sexo

Eu só posso ser um tolo

Para viver esta vida sem nexo

 

Não sou bom ouvinte

Nem sequer bom amante

Não sou de dar opiniões

Sou um simples ser errante

 

Porque é que só me procuram

Quando precisam de ajuda?

Sou tão mau assim?

Isto me deixa “una duda”

 

Sou um ser descartável

Usado e deitado fora

Sou um ser miserável

Que só sirvo para o prazer na hora

 

Sou um ser descartável

Que ninguém quer amar

Pois todos me acham fiável

Mas somente para me usar.

publicado por sensei às 13:41

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Segunda-feira, 25 de Fevereiro de 2008

NOITE DE AZARRRR!!!!!

A noite quente de Verão,

Escondeu na escuridão,

O som do teu chegar

 

A cor do teu batom,

Escondeu da multidão

O sabor do teu beijar.

 

Aquele leve vestido,

Mais tarde despido,

As tuas curvas estava a realçar.

 

A tua cara bonita,

De menina jovenzita,

Que logrou me encantar.

 

O teu cabelo

Tão liso, tão belo,

Deixou-me a flutuar

 

Sobre os teus peitos,

Tão delicados e perfeitos,

Eu quis ter lugar

 

No teu quarto,

O teu belo recanto,

Deixamo-nos embalar.

 

No teu regaço,

Com algum embaraço,

Eu fui brincar.

 

Eras tão bela, Flor,

No meu peito provocas-te um ardor

Que alguém teimou em apagar.

 

Quando no corredor,

Já nós cheios de suor,

Ouvimos alguém caminhar,

 

Era o teu namorado,

Esse desgraçado,

Que acabava de voltar.

 

Mais cedo que o normal,

Logo hoje, esse animal,

Tinha que cedo regressar.

 

Fugi pela janela,

Fui mordido pela tua cadela,

E não pude gritar.

 

A roupa lá caía,

Enquanto eu corria,

Para me poder abrigar,

 

Nu, pelado lá ia,

O mais rápido que podia,

Para me tentar agasalhar

 

Para trás nem olhava

Pois só me importava

Depressa dali bazar

 

Agora que escrevo,

Estes versos, este enredo,

É que estou a pensar

 

Sete pontos eu levei

A queca eu não dei

Nessa noite de AZAR….

publicado por sensei às 14:45

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Sexta-feira, 15 de Fevereiro de 2008

Diz-me

Não te vás

Não me fujas

Não desapareças

Não te iludas

 

Não atendas ao que digo

Porque pode não ser a verdade

Mas atende ao que eu faço

Num gesto, num expressar de vontade

 

Da boca saem palavras,

Que pelo vento são levadas

Do coração saem gestos

Saem imagens que em nós ficam gravadas

 

Não penses no que te disse

Num momento de cabeça quente

Mas pensa no que eu fiz

Nos momentos de cabeça assente

 

Não te isoles do mundo

Por eu dizer que temos que acabar

Pois sabes que lá no fundo

O meu desejo é recomeçar

 

Dá-me esperança

De que comigo vais lutar

Esta luta infame

Para o amor triunfar

 

Junta-te a mim

Olha no mesmo sentido

Deixa de ver em mim

Mais um simples amigo

 

Sei que fui eu que disse

Que somente era um amigo

Mas foi uma frase solta

Não o desejo que trago comigo

 

Dá-me esperança

Diz-me que não vou esperar

Diz-me o que o teu coração quer,

Diz-me que não vais “viajar”

 

Diz-me que podemos

Dar o passo a seguir

Isto se ambos quisermos

Mas desta vez sem mentir

 

Deixa os ciúmes

Fechados num alçapão

Deixa ser o amor

A reinar no teu coração

 

Vamos encarar o futuro

Lutar por algo melhor

Pode ser um pouco duro

Mas tudo construiremos ao nosso redor

 

Vem arriscar comigo

Nem que seja só desta vez

Perde o medo de arriscar

Perde essa timidez

 

Arrisca procurar a felicidade

Arrisca procurar ficar a meu lado

Vamos alegrar os nossos dias

Vamos alegrar o nosso fado

 

Diz-me que sim

Não digas para eu procurar alguém

Diz-me que vais ficar perto de mim

Diz-me que me queres bem

 

Vamos morar juntos

Debaixo do mesmo tecto

Vamos mostrar a nós próprios

Que também sabemos dar afecto

 

Não me fujas

Não me abandones

Volta para mim

Não me digas que o amor por mim chegou ao fim

 

Diz-me a verdade

Se queres a meu lado lutar

Se queres comigo ser feliz

Se me queres verdadeiramente amar.

publicado por sensei às 12:14

link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
Quinta-feira, 14 de Fevereiro de 2008

dia dos namorados

Hoje é um dia especial

Dia dos namorados

Eu tento torna-lo banal

Mas para mim é o dia dos falhados

 

Hoje devia ter

Alguém para mimar

Alguém para poder

Dizer que loucamente a estou a amar

 

Mas hoje, como sempre

Solitário e amargurado estou

Ninguém quer um ser tão deprimente

Um ser que a solidão criou

 

Vou ficar aqui fechado

No meu mundo encantado

Neste quarto alugado

Neste canto resguardado

 

Vou ouvir e imaginar

Como se estão a divertir

Os casais de encantar

Que somente sabem sorrir

 

Agora que o dia chegou

A solidão me atormenta mais

Eu não sei para onde vou

Os meus dias parecem funerais

 

Não tenho a alegria

De a meu lado ter uma mulher

Uma dama, uma rapariga

Que eu sonho um dia vir a ter

 

Para mim é o dia dos falhados

Tristes, abandonados

Sós, desajeitados

Feios, amargurados

 

Eu sou o maior de todos eles

Sou feio e reles

Sou um ser animal

Se calhar um ser banal

 

Mas o dia hoje vai terminar

E eu sozinho vou estar

Assim vou continuar

Á espera de alguém para  amar…

publicado por sensei às 13:43

link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Terça-feira, 12 de Fevereiro de 2008

Onde estás???

Abandonado

Sinto-me destroçado

Um ser amargurado

Com o coração despedaçado

 

Espero à muito tempo

A princesa que me virá salvar

Espero a mudança do vento

Desta época de azar

 

Fechado neste buraco

Onde ninguém me pode ver

Sou um pássaro fechado

Com pouco ou nada a perder

 

Espero a princesa

Corajosa e bonita

Que montada e bela

Me liberte desta gruta maldita

 

Onde estás tu princesa

Tardas em chegar

Com a tua beleza

Disposta a me libertar

 

Onde andas tu perdida

Que o caminho não encontras?

Onde andas tu perdida

Que a tua beleza não demonstras?

 

Estou só

Estou abandonado

Reduzido a pó

Tudo como ser amargurado

 

Onde estás tu minha deusa

Quando me vens buscar

É assim que a história reza

Essa história de encantar

 

Onde estás tu

Não quero ficar só no S. Valentim

Só, sinto-me nu

Só, sinto uma tristeza sem fim

 

Quem que quer salvar

Desta minha caverna

E o meu coração iluminar

Com a luz eterna…

publicado por sensei às 13:37

link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Novo blog

. Fortuna?

. Despeço-me de ti, AMOR

. Magoaste-me....

. SOL

. DESCARTÁVEL

. NOITE DE AZARRRR!!!!!

. Diz-me

. dia dos namorados

. Onde estás???

.arquivos

. Dezembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

.tags

. todas as tags

.links

.Contador

clasificados
clasificados
blogs SAPO

.subscrever feeds