Quinta-feira, 4 de Dezembro de 2008

Novo blog

Link para o meu novo cantinho.... Espero lá por voces.
Obrigado por lerem os devaneios que escrevo.


publicado por sensei às 11:07

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 10 de Abril de 2008

Magoaste-me....

As palavras que proferiste

Foram duras e aguçadas

Foi com elas que me feriste

Logo após serem arremessadas

 

As palavras não voltam mais

Depois de as dizeres

Ficam marcadas nos anais

Descrevem ódios e prazeres

 

As que ontem proferiste

Denotavam mágoa e amargura

Tu estavas de espada em riste

Tu eras uma guerreira dura

 

Não tinhas razão

Para me magoares daquela maneira

De ferires o meu coração

De o deixares com farpas de madeira

 

Eu sei que tu erraste

E tu hoje sabes também

Aquilo foi um desastre

Foi algo que não te ficou bem

 

O teu orgulho não permite

Que me voltes a falar

Nem movido com dinamite

Esse orgulho eu iria derrubar

 

Tenho pena que assim seja

Que te deixes influenciar

Por alguém que te inveja

E que finge te querer ajudar

 

Sabes onde estou

A lamber as feridas

De lá sair não vou

Não desperdices mais oportunidades das nossas vidas….

 

publicado por sensei às 14:01

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quarta-feira, 19 de Março de 2008

EU

Procurei no espelho

A razão do meu ser

Procurei um conselho

Na figura que estava a ver

 

O que faço eu aqui

Qual o propósito desta viagem

Porque é que eu nasci

Porque me falta a coragem?

 

Não sou descobridor

Nem sei sequer navegar

Não sou conquistador

Eu nem sei sequer lutar

 

Sou tímido, sim senhor,

Envergonhado por natureza

Tenho um íman em meu redor

Que só atrai a avareza

 

Porque caminho eu na Terra

Qual é a minha missão

Que segredos a vida ainda encerra

Qual será a minha lição

 

Será que vivo como devo

Como Deus nos ensinou

É que no fundo eu temo

Temo não saber para que lugar eu vou

 

Não sei quem sou eu

Não sei se me conheço

Por debaixo deste véu

Não sei se me reconheço

 

Sou o que dizem que sou

Ou serei algo diferente

Este dúvida sempre me atormentou

E não me permitiu olhar em frente

 

Sou gentil e inteligente

Ou serei má pessoa

Serei um ser deprimente

Que os outros sempre magoa?

 

O que sou eu?

Quem sou eu?

Será que há eu?

Será que eu sou mesmo eu?

 

publicado por sensei às 16:47

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Segunda-feira, 25 de Fevereiro de 2008

NOITE DE AZARRRR!!!!!

A noite quente de Verão,

Escondeu na escuridão,

O som do teu chegar

 

A cor do teu batom,

Escondeu da multidão

O sabor do teu beijar.

 

Aquele leve vestido,

Mais tarde despido,

As tuas curvas estava a realçar.

 

A tua cara bonita,

De menina jovenzita,

Que logrou me encantar.

 

O teu cabelo

Tão liso, tão belo,

Deixou-me a flutuar

 

Sobre os teus peitos,

Tão delicados e perfeitos,

Eu quis ter lugar

 

No teu quarto,

O teu belo recanto,

Deixamo-nos embalar.

 

No teu regaço,

Com algum embaraço,

Eu fui brincar.

 

Eras tão bela, Flor,

No meu peito provocas-te um ardor

Que alguém teimou em apagar.

 

Quando no corredor,

Já nós cheios de suor,

Ouvimos alguém caminhar,

 

Era o teu namorado,

Esse desgraçado,

Que acabava de voltar.

 

Mais cedo que o normal,

Logo hoje, esse animal,

Tinha que cedo regressar.

 

Fugi pela janela,

Fui mordido pela tua cadela,

E não pude gritar.

 

A roupa lá caía,

Enquanto eu corria,

Para me poder abrigar,

 

Nu, pelado lá ia,

O mais rápido que podia,

Para me tentar agasalhar

 

Para trás nem olhava

Pois só me importava

Depressa dali bazar

 

Agora que escrevo,

Estes versos, este enredo,

É que estou a pensar

 

Sete pontos eu levei

A queca eu não dei

Nessa noite de AZAR….

publicado por sensei às 14:45

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quarta-feira, 22 de Agosto de 2007

A merda da minha vida

Hoje estou vazio

Não tenho nada dentro de mim

Estou vazio

Não sei porque me sinto assim

 

Hoje estou vazio

Sinto o coração bater

Mas até mesmo ele

Começo a ter medo de perder

 

Hoje estou vazio

De uma tristeza sem fim

Uma escuridão interior

Não existe luz em mim

 

Hoje estou vazio

Nada me sai do interior

Nada consigo criar

Nada consigo expor

 

Gostava de hoje ser uma música alegre

Algo com luz e cor

Mas hoje sou um fado sentido

Um fado sem alma, só dor.

 

Hoje não sei o que faço

Nesta terra de encanto

Não sei pelo que passo

Porque sofro eu tanto.

 

Hoje queria ser o sol

Na vida de alguém

Mas hoje a noite perdura

O dia nunca mais vem.

 

Gostava de caminhar alegre

Correr, saltar e brincar.

Mas sou a chuva que estraga tudo

Aquela que não nos deixa na rua andar.

 

Sou o contrário de Midas

Que tudo o que tocava virava ouro

Sou mais um arqueólogo

Que ainda procura o tesouro.

 

Mas ele não aparece

E eu começo a ficar cansado

Ele foge de mim, sempre,

Eu começo a ficar desanimado.

 

Hoje queria cantar

Mas hoje nao tenho voz

Hoje queria gozar

Mas só se gozar de uma tristeza atroz.

 

Tenho a vida que construi

Nos alicerces que me deram

Totalmente ainda nao ruí

Mas que outra coisa voces esperam.

 

Tou farto de tudo a minha volta

Tou farto de tudo dentro de mim

Começo a sentir a revolta

Eu sei bem que não devia ser assim

 

Gostava de ser feliz

De ter apoio no que quero fazer

Sei que ainda pouco fiz

Mas nada consegui ter.

 

Não tenho nada, não sei porquê

Não tenho nada de valor

De valor material, queria eu dizer,

Por ainda conservos alguns amigos em meu redor.

 

Mas alguns desses amigos

Só se lembram de mim de vez em quando

Poucos são os que me olham

Nas vezes que eu em baixo ando.

 

Mas a vida não pode ser só lamurias

Muito não nos podemos queixar

Eu gostava de poder dizer

Que tenho algo para me recordar.

 

Há coisas que me lembro sempre

Mas nem sempre as recordo

Porque só as sinto como boas

No momento em que acordo.

 

Porque depois o dia

Que me faz sempre atinar

Tem o condão de me dizer

Que mais uma vez eu estava a errar.

 

Errava na maneira como pensava

No que pensava tambem

Porque quase tudo o que eu fiz

Não se pode dizer que fiz bem.

 

Hoje de pouco me orgulho

Porque nada tenho para me orgulhar

Mas quando tento recordar algo que me orgulhe

Tenho dificuldade em encontrar

 

Podia-me orgulhar

De ter tido várias mulheres

De ter feito sexo com elas

De lhes ter mostrado vários prazeres.

 

Mas hoje vejo que afinal de nada serviu

Continuo sozinho na minha cama

Há noites em que tenho frio

Há dias em que penso que ninguem me ama.

 

Sei que há quem me ame

Sei que ha quem goste de mim

Mas não há nada que me trame

Mais do que ter pena de mim.

 

Mas as forças já faltam

Já não tenho o encanto que tinha

Não me perguntem como o fazia

Nem de onde o encanto vinha.

 

Hoje sou mais solitário

Mais só e mais tristonho

Hoje sou muito mais otário

Hoje acordei do meu sonho.

 

Nada tenho, nada sou

Nada consigo, nada conquisto

Não sei de onde vim nem para onde vou

Só sei que nunca mais saio disto.

 

A minha vida é uma merda

E nunca mais dela saio

A minha vida é um teatro sem regra

Sem ponto e sem ensaio.

 

Mas sou um mau actor

Não sei sequer cantar

Sou o cúmulo do fedor

Só espero que a barca não tarde para me levar....

sinto-me: Cá ando
tags: , ,
publicado por sensei às 13:37

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Quinta-feira, 14 de Junho de 2007

O meu valor deve ser mesmo muito mas mesmo muito baixo

Porque sera que as pessoas por vezes estragam tudo num momento?

Hoje o meu dia estava a correr bem, estava a sentirme bem a conseguir-me alhear minimamente dos problemas que me afectam a mim e a minha familia, mas de repente tudo se acaba.

A minha ex-namorada, acredito que nao por mal, brincou com uma coisa que nao admito a ninguem. Ela diz que nao me quis ofender, mas no fundo foi o que conseguiu fazer. Ela pos uma opcao que nunca devia ter posto ninguem, muito menos ela que me deveria conhecer minimamente, Eu nao admito que gozem com a minha familia, muito menos com a situacao que agora estamos a atravessar, e por a hipotese que ela pos e que nao vou dizer qual foi, acho que e a pior coisa que hoje me podiam ter dito.

Nos nestes ultimos tempos ate nos tinhamos entendido bem, tinhamos falado muito, tenhamos estado em contacto. Podia esperar aquela "boca" ou brincadeira de qualquer pessoa, menos da minha ex.

Ela conseguiu fazer-me enterrar na merda de novo.

porque sera que as pessoas, quando tudo esta bem ou caminha para estar bem, estragam tudo? Sera que e do ser humano o querermos estar sempre a destruir o que construimos para depois reconstruir de novo?

Tou farto disto tudo, preferia nao estar ca.

 

Beijinhos e abraços

sinto-me: na merda
tags: ,
publicado por sensei às 17:18

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

.Relogio

relojes web gratis

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Novo blog

. Magoaste-me....

. EU

. NOITE DE AZARRRR!!!!!

. A merda da minha vida

. O meu valor deve ser mesm...

.arquivos

. Dezembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

.tags

. todas as tags

.links

.Contador

clasificados
clasificados
blogs SAPO

.subscrever feeds