Quinta-feira, 4 de Dezembro de 2008

Novo blog

Link para o meu novo cantinho.... Espero lá por voces.
Obrigado por lerem os devaneios que escrevo.


publicado por sensei às 11:07

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 23 de Outubro de 2008

PORTUGAL

 

Começamos num condado
Que julgaram condenado
 
Tornamo-nos num país
Que criamos de raiz
 
Conquistamos cada palmo de terra
Fomos heróis em tempo de guerra
 
Descobrimos meio mundo
Com a certeza de não ir ao fundo
 
Tornamo-nos numa nação
Pela força da espada e do canhão
 
Hasteamos a nossa bandeira
Para alem da nossa fronteira
 
Expulsamos Mouros e Galegos
E tornamo-nos no pior dos seus medos
 
Marchamos contra os Bretões
E contra outras nações
 
Fomos grandes navegadores
Conquistadores e descobridores
 
Fomos grandes neste mundo
Antes de tudo ir ao fundo
 
De repente tudo perdemos
Liberalizamos e oferecemos
 
Tudo o que conquistamos
Também abandonamos
 
Onde esta o orgulho português
Eu não o vejo, será que tu o vês?
 
Onde está a alma lusitana
Onde anda o Afonso e aquela padeira bacana?
 
Hoje a todos nos rendemos
E a todos obedecemos
 
Até os tristes Galegos
Se riem dos nossos degredos
 
Onde anda a alma lutadora
Dos tempos da outra senhora
 
Onde está o espírito ganhador
Com que nos brindou o Senhor?
 
Hoje somos governados
Por países associados
 
Já foram a C.E.E.
E agora são a merda que se vê
 
Já não temos as barreiras
Nem sequer as nossas fronteiras
 
Já e tudo normal
Neste triste Portugal
 
Já não aprendemos português
É melhor aprender inglês ou francês
 
Aprender espanhol, se calhar
Porque qualquer dia é o que temos que “hablar”
 
Nas ruas já pouco português se fala
É mais criolo, brasileiro, inglês ou russo, o que nos embala
 
E para não falar do acordo ortográfico
Que mais nos vai tornar num país pornográfico
 
Porque sinto que todos somos enrabados
E continuamos a estar calados
 
Todos nos estão a invadir
Ou para cá estão a “fugir”
 
Aqui ninguém lhes faz mal
E para a cadeia não vão, só vão para o hospital
 
E aqui podem roubar e matar
Porque a policia não pode atirar
 
Que país é este em que estamos
Que país é este em que nos tornamos
 
Onde anda o espírito vencedor
Combativo, lutador?
 
Vamo-nos levantar
Contra os “Galegos” lutar
 
E contra todos os que nos tentam controlar
Pois somos nós que os temos que derrotar
 
Vamos levantar a nossa nação
Com a força que nos vem do coração
 
Vamos por Portugal lutar
E o nosso lugar reconquistar….
publicado por sensei às 13:53

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quarta-feira, 11 de Junho de 2008

Angustia

 

Hoje sou um ser perdido
Que não sabe para onde se virar
Sou como um cão vadio
Que passa o tempo a vadiar.
Sou um gato vagabundo
Sem vidas para gastar.
Um pássaro retido
Sem espaço para voar
 
Sou o que nunca sonhei ser
Alguém sem hipótese de mudar
Eu que sempre sonhei que iria vencer
E que agora me contento com ganhar.
 
Sou a bola no ferro
Que ficou por entrar
Sou um vento agreste
Que todos faço arrepiar
Sou a chuva fria
Que teima toda a gente molhar
Sou um vadio
Que não tem onde ficar
 
Sonhei que ia vencer
Sonhei que ia singrar
Sonhei que algo eu iria ter
Sonhei que algo iria conquistar
 
Mas habituei-me unicamente a ganhar
Sem procurar vencer
Fiquei-me pelo tentar
Nunca passei para o querer
 
Tentei ser alguém na vida
Mas saí sempre vergado
Tentei curar toda e qualquer ferida
Mas fui eu que fui desinfectado
 
Hoje vivo de caridade
De alguém que me dá um tecto
Hoje vivo desejando
Um pouco mais de afecto
Vivo com medo de não vencer
Com medo de não ser correcto
Vivo unicamente por viver
Vivo com medo de para sempre ficar quieto
 
Se calhar era a solução
Era o que devia fazer
Não incomodar mais ninguém
Não fazer ninguém sofrer
Pegar num simples cordão
E usa-lo para me suster
Para não encher sequer um pulmão
Para o coração parar de bater….
publicado por sensei às 19:30

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Quinta-feira, 15 de Maio de 2008

Despeço-me de ti, AMOR

 

Dói-me a alma
De ver tudo terminar assim
Não consigo ter calma
Quando vejo que tu ditas-te o fim
 
O vazio no teu interior
O vazio a que me votas-te
Em mim causas-te muita dor
Essa dor que também tu já me sacias-te
 
De saber que já te tive
De saber que já te possui
De saber que em mim não te mantive
Mas acredita que não fui eu que fugi
 
O prazer que me deste
Quando na minha língua te senti
Quando forte te agarrei
É um momento que não esquecerei
 
O toque dos meus lábios em ti
O sentir do teu corpo
Os locais onde te possui
Esses locais de onde eu sai “torto”.
 
Porque teimas-te em terminar
Porque não nos amamos eternamente
Porque tinhas que acabar
Porque tinhas que acabar tão de repente
 
Custou-me, para aí um euro
Ter-te por breve instante
Tu que me transformas
Tu cerveja, meu amor distante
 
Agora foges de mim
Teimas em abandonar o meu corpo
Depois de me percorreres assim
Desde a boca, até quase ao escroto
 
Sais para não mais voltar
Desapareces nesse urinol
Misturada com a naftalina
Ou com pastilhas de mentol
 
Mas vai toda de uma vez
Leva até a ultima gota
Não me marques também as cuecas
Não te derrames na minha bota
 
Vai, amor infame
Vou-me entregar a outra bebida
Pois tu já não me excitas
Pois eu vou mudar de vida….

 

 

 

 

publicado por sensei às 11:16

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Terça-feira, 6 de Maio de 2008

Corre o Risco

És como és

Tens o teu Q de especial

Tens os teus encantos

Não te julgues uma pessoa banal

 

Pensa no que podes fazer

No que podes criar

No que consegues oferecer

Em tudo o que tu desejas amar

 

Não tenhas medo de viver

Porque tens medo de arriscar

O risco foi feito para se correr

Só assim é que se consegue amar

 

Do que serve o amor sem risco

Sem medo de se falhar

Do que serve amar sem ter medo

Sem medo contra o que lutar

 

Tenta viver o teu dia

Como se fosse o ultimo neste lugar

Pois não sabes como passas a noite

Nem sequer se amanhã vais acordar

 

Não tenhas medo de viver

Corre o risco que tens que correr

Pois no final tu vais ver

Que só assim sabe bem vencer.

publicado por sensei às 10:53

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quinta-feira, 10 de Abril de 2008

Magoaste-me....

As palavras que proferiste

Foram duras e aguçadas

Foi com elas que me feriste

Logo após serem arremessadas

 

As palavras não voltam mais

Depois de as dizeres

Ficam marcadas nos anais

Descrevem ódios e prazeres

 

As que ontem proferiste

Denotavam mágoa e amargura

Tu estavas de espada em riste

Tu eras uma guerreira dura

 

Não tinhas razão

Para me magoares daquela maneira

De ferires o meu coração

De o deixares com farpas de madeira

 

Eu sei que tu erraste

E tu hoje sabes também

Aquilo foi um desastre

Foi algo que não te ficou bem

 

O teu orgulho não permite

Que me voltes a falar

Nem movido com dinamite

Esse orgulho eu iria derrubar

 

Tenho pena que assim seja

Que te deixes influenciar

Por alguém que te inveja

E que finge te querer ajudar

 

Sabes onde estou

A lamber as feridas

De lá sair não vou

Não desperdices mais oportunidades das nossas vidas….

 

publicado por sensei às 14:01

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Segunda-feira, 1 de Outubro de 2007

O Poema Mais Bonito do Mundo

Hoje quis fazer algo especial

Algo deslumbrante e não banal

 

Quis escrever o poema mais bonito do mundo

Mas não podia falar deste local imundo

 

Pensei escrever sobre coisas passadas

Mas percebi que não devem ser recordadas

 

Quis escrever sobre coisas do futuro

Mas previ um futuro duro

 

O poema mais bonito do mundo

Tinha que o procurar bem no meu fundo

 

Tinha que falar sobre algo só meu

Tinha que falar da Terra e do Céu

 

Pensei falar-vos da puta Maria

Mas a vida dela cheira pior que a ria

 

Pensei falar-vos do meu tio Daniel

Que sempre teve dificuldade em ser fiel

 

Vou falar-vos da minha namorada

Que vive iludida que é amada

 

Talvez seja melhor falar-vos de mim

Antes que chegue o meu fim

 

Talvez vos fale do meu primo Morgado

Que não passa de um drogado

 

Talvez da minha prima Beatriz

A mais cara meretriz

 

Já sei, hoje falo do meu amigo Venceslau

Que tem a mania que é mau

 

Vou falar-vos da minha amante Idalina

Que só me interessa como ela pina

 

Vou falar-vos do meu verdadeiro amor

Do qual só conheço o seu odor

 

Vou falar-vos de putas e cabrões

Que por aí há aos trambolhões

 

Era o poema mais bonito do mundo

Mas é impossível faze-lo neste mundo imundo.

sinto-me: uhmmm
publicado por sensei às 10:42

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

.Relogio

relojes web gratis

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Novo blog

. PORTUGAL

. Angustia

. Despeço-me de ti, AMOR

. Corre o Risco

. Magoaste-me....

. O Poema Mais Bonito do Mu...

.arquivos

. Dezembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

.tags

. todas as tags

.links

.Contador

clasificados
clasificados
blogs SAPO

.subscrever feeds