Quarta-feira, 22 de Agosto de 2007

A merda da minha vida

Hoje estou vazio

Não tenho nada dentro de mim

Estou vazio

Não sei porque me sinto assim

 

Hoje estou vazio

Sinto o coração bater

Mas até mesmo ele

Começo a ter medo de perder

 

Hoje estou vazio

De uma tristeza sem fim

Uma escuridão interior

Não existe luz em mim

 

Hoje estou vazio

Nada me sai do interior

Nada consigo criar

Nada consigo expor

 

Gostava de hoje ser uma música alegre

Algo com luz e cor

Mas hoje sou um fado sentido

Um fado sem alma, só dor.

 

Hoje não sei o que faço

Nesta terra de encanto

Não sei pelo que passo

Porque sofro eu tanto.

 

Hoje queria ser o sol

Na vida de alguém

Mas hoje a noite perdura

O dia nunca mais vem.

 

Gostava de caminhar alegre

Correr, saltar e brincar.

Mas sou a chuva que estraga tudo

Aquela que não nos deixa na rua andar.

 

Sou o contrário de Midas

Que tudo o que tocava virava ouro

Sou mais um arqueólogo

Que ainda procura o tesouro.

 

Mas ele não aparece

E eu começo a ficar cansado

Ele foge de mim, sempre,

Eu começo a ficar desanimado.

 

Hoje queria cantar

Mas hoje nao tenho voz

Hoje queria gozar

Mas só se gozar de uma tristeza atroz.

 

Tenho a vida que construi

Nos alicerces que me deram

Totalmente ainda nao ruí

Mas que outra coisa voces esperam.

 

Tou farto de tudo a minha volta

Tou farto de tudo dentro de mim

Começo a sentir a revolta

Eu sei bem que não devia ser assim

 

Gostava de ser feliz

De ter apoio no que quero fazer

Sei que ainda pouco fiz

Mas nada consegui ter.

 

Não tenho nada, não sei porquê

Não tenho nada de valor

De valor material, queria eu dizer,

Por ainda conservos alguns amigos em meu redor.

 

Mas alguns desses amigos

Só se lembram de mim de vez em quando

Poucos são os que me olham

Nas vezes que eu em baixo ando.

 

Mas a vida não pode ser só lamurias

Muito não nos podemos queixar

Eu gostava de poder dizer

Que tenho algo para me recordar.

 

Há coisas que me lembro sempre

Mas nem sempre as recordo

Porque só as sinto como boas

No momento em que acordo.

 

Porque depois o dia

Que me faz sempre atinar

Tem o condão de me dizer

Que mais uma vez eu estava a errar.

 

Errava na maneira como pensava

No que pensava tambem

Porque quase tudo o que eu fiz

Não se pode dizer que fiz bem.

 

Hoje de pouco me orgulho

Porque nada tenho para me orgulhar

Mas quando tento recordar algo que me orgulhe

Tenho dificuldade em encontrar

 

Podia-me orgulhar

De ter tido várias mulheres

De ter feito sexo com elas

De lhes ter mostrado vários prazeres.

 

Mas hoje vejo que afinal de nada serviu

Continuo sozinho na minha cama

Há noites em que tenho frio

Há dias em que penso que ninguem me ama.

 

Sei que há quem me ame

Sei que ha quem goste de mim

Mas não há nada que me trame

Mais do que ter pena de mim.

 

Mas as forças já faltam

Já não tenho o encanto que tinha

Não me perguntem como o fazia

Nem de onde o encanto vinha.

 

Hoje sou mais solitário

Mais só e mais tristonho

Hoje sou muito mais otário

Hoje acordei do meu sonho.

 

Nada tenho, nada sou

Nada consigo, nada conquisto

Não sei de onde vim nem para onde vou

Só sei que nunca mais saio disto.

 

A minha vida é uma merda

E nunca mais dela saio

A minha vida é um teatro sem regra

Sem ponto e sem ensaio.

 

Mas sou um mau actor

Não sei sequer cantar

Sou o cúmulo do fedor

Só espero que a barca não tarde para me levar....

sinto-me: Cá ando
tags: , ,
publicado por sensei às 13:37

link do post | favorito
Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 


.Relogio

relojes web gratis

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Novo blog

. ADEUS

. PORTUGAL

. IGNORANCIA

. Mas que noite...

. SOZINHO

. Faltas-me tu

. Beijo

. Tenho medo de morrer

. O mundo pode acabar

.arquivos

. Dezembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

.tags

. todas as tags

.links

.Contador

clasificados
clasificados
blogs SAPO

.subscrever feeds