Segunda-feira, 27 de Agosto de 2007

Será

Vais saber o meu nome,

Quando nos cruzarmos

Num local qualquer

Meses depois de nos separarmos?

 

Será que vais sentir o meu cheiro

Que agora dizes sentir

Será que nessa altura não será veneno

Pelas tuas narinas a subir?

 

Quando te convidar para sair

Será que vais aceitar?

Ou será que me vais fugir,

Ou vais simplesmente o convite negar?

 

Será que te vais lembrar

Do tempo que passas-te comigo

Ou nao te vais querer deles recordar

Vais-te refugiar no teu umbigo?

 

Será que vais conseguir

Mudar um bocadinho que seja

Ou será que te vais fechar

Para que ninguem te veja?

 

Porque beleza tu tens

Disso eu não duvido

Mas essa beleza que tens

É tapada pelo teu umbigo.

 

Será que vais ter coragem

Para te entregares

Ao sortudo que te cativar

E nos braços dele te abandonares?

 

Porque eu tenho a certeza

Que vais ser muito feliz

Desde que consigas te dar

Desde que não empines o nariz.

 

Será que vais saber o meu nome

Será que vais saber quem eu sou

Será que vais sentir o meu cheiro

Ou será que tudo o tempo já matou?

publicado por sensei às 16:39

link do post | comentar | favorito
|
4 comentários:
De fofinhatuga a 27 de Agosto de 2007 às 17:35
As lembranças, as memórias dos bons tempos passados em conjunto, os cheiros, os risos, os sonhos e até os gostos nunca se esquecem, por muito que nos separemos ou a vida teime em tomar um novo rumo.
O tempo não mata, apenas arrefece ou transforma...

Jinhos grandeees
De Miguel a 29 de Agosto de 2007 às 00:57

Descobri este blog através do blog fofinhatuga, que já tinha descoberto quando procurava blogs de poesia.

Parabéns sensei, por este poema, é tudo o que eu já senti tantas vezes, sempre que acabo uma relação.

Também daria uma excelente letra para música do grande Pedro Abrunhosa.

Continua a escrever, eu vou continuar a acompanhar este blog e vou divulgar.



miguelzucho@yahoo.com.br
De sensei a 29 de Agosto de 2007 às 13:00
Obrigado pelo teu comentário.
Estes são pequenos jogos de palavras que gosto de fazer. Uns mais interessantes que outros, mas todos me dão imenso prazer.
Se tiveres ideias para novos "poemas", podes dizer, pode ser que eu consiga fazer algo engraçado.
Um abraço
De Catarina a 29 de Agosto de 2007 às 12:52
Sabes bem o que penso deste poema.

è muito bonito de facto e toca.me muito

Espero que nunca venhas a ter razao, jinhos

Comentar post

.Relogio

relojes web gratis

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Novo blog

. ADEUS

. PORTUGAL

. IGNORANCIA

. Mas que noite...

. SOZINHO

. Faltas-me tu

. Beijo

. Tenho medo de morrer

. O mundo pode acabar

.arquivos

. Dezembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

.tags

. todas as tags

.links

.Contador

clasificados
clasificados
blogs SAPO

.subscrever feeds