Quinta-feira, 9 de Agosto de 2007

PUTAS...

Prostituta, que na estrada trabalha

Num bordel alterna

Mas vai com quem calha.

 

Prostituta, que tantos homens satisfazes

Tantas mulheres superas

E parece que nada de bom trazes.

 

Prostituta, que esvazias tantos colhões

Que fantasias realizas

De jovens e anciões.

 

Prostituta, que trabalhas sem cessar

Quer chova quer faça sol

Na beira da estrada vais estar.

 

Prostituta, tu que regressas ao teu lar

No teu quarto sozinha

Ficas sem ninguém verdadeiramente para te amar

 

Prostitutas, vós que não podeis ter férias

Trabalhais de sol a sol

E ainda dizem que sois galdérias.

 

Prostituta, meretrice ou meretriz

Com tanto que suportas

Como consegues ser feliz?

 

Prostituta, Cortesã ou Rameira

Sexo para ti é em todo lado

Na estrada, na cama ou na eira.

 

Prostituta, Michela ou Marafona

Os homens só te utilizam

Vendes-te toda, da alma até á cona.

 

Prostituta, Concubitata ou Messalina

Tambem entre vós há classes

Desde a prostituta reles até à prostituta fina.

 

Prostituta, Cróia ou Cocote

O teu traje é sempre o mesmo

Mini-saia e camisola com grande decote.

 

Prostituta, Dadeira ou Mundana

O teu objectivo de vida

Não é muito mais que amor e uma cabana.

 

Prostituta, Fusa ou Rascoa

Sais sempre para a rua

Mesmo que o teu coração doa

 

Prostituta, Rascoeira ou Puta

Dentro deste mundo cão

Deves ser das que mais luta.

 

Prostituta, ou seja lá o que te chamam

Assumes o que fazes

Finges que os homens te amam.

 

Prostituta, uma estátua merecias

Para inspirar muita gente

Muita gente de almas vazias.

 

Ser Humano, Será que não entendes

Que dentro de vós

Também uma prostituta tendes.

 

Todos se vendem, de diversas maneiras

Pode não ser só sexo

Mas todos somos Rameiras.

 

Uma opinião vendida, uma tarefa a contra-gosto

Isto não será pior

Que uma Puta que se vende no seu posto?

 

Eu, tu e toda a gente,

já nos vendemos um dia

Não é certamente

Por isso que te vão chamar de vadia.

 

PROSTITUTA, Meretrice, Cortesã, Rameira, Puta,

Porque é que há muita gente que pensa que esta mulher não luta?

Michela, Concubitata, Marafona, Messalina, Fusa,

Mais que não seja luta para que o homem recupere a tusa.

Cróia, Cocote, Dadeira, Mundana, Rascoa, Rascoeira ou Meretriz,

Eu só gostava de poder dizer que qualquer uma destas mulheres "Da Vida" é feliz...

sinto-me: BEM
publicado por sensei às 11:38

link do post | comentar | favorito
|
3 comentários:
De Catarina a 9 de Agosto de 2007 às 12:45
Olá
Um poema bem forte, com algumas palavras mais arrojadas de usar (c*na) mas traduz bem a realidade, gosto principlamente da parte em que achas a atencao para o facto de todos nós ja nos termos vendido de alguma maneira!!

bjos
De Infiel a 9 de Agosto de 2007 às 15:22
lol
é um olhar realista mas superficial á profissão mas... concordo contigo em muitas coisas e, como dizia um amigo meu ha uns anitos, "este mundo é constituido por putas e cabrões" , porque todos nós ja alguma vez nos vendemos e todos nós ja alguma vez fomos atraiçoados
De fofinhatuga a 9 de Agosto de 2007 às 16:16
Olá lindo
Nunca pensei nessa tua posição quanto a todos nós já um dia nos vendemos...tens muita razão.
Poema bem "forte" nas palavras para um tema de si já tao controverso...és directo.
Gostei bastante!
Jinhos

Comentar post

.Relogio

relojes web gratis

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Novo blog

. ADEUS

. PORTUGAL

. IGNORANCIA

. Mas que noite...

. SOZINHO

. Faltas-me tu

. Beijo

. Tenho medo de morrer

. O mundo pode acabar

.arquivos

. Dezembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

.tags

. todas as tags

.links

.Contador

clasificados
clasificados
blogs SAPO

.subscrever feeds